sexta-feira, 16 de março de 2012

Mochilão - Cusco - Peru

Chegamos em Cusco já era madrugada, na rodoviária fomos abordados por um cara nos oferecendo hospedagem no Colonial Wasi Hostel, pegamos o flyer do hostal e negociamos com um táxi para nos levar até o Pirwa Backpackers Colonial Hostel em frente a Plaza San Francisco, mas não tinha vaga! Nos hostals famosos e mais conhecidos, dificilmente consegue-se vaga sem reserva. Encontramos um brasileiro na porta do Pirwa que nos indicou um hostal a umas três quadras dali, chegamos lá e também não havia vagas. Então fomos procurar o hostal do cara que tinha nos abordado na rodoviária, afinal pelo flyer o lugar não era ruim. Chegamos e ficamos com um quarto para quatro pessoas por s/100. O flyer era bem mais bonito que o hostal pessoalmente. Os brasileiros André e Guiga, que encontramos em Puno, também ficaram nesse mesmo local.
No dia seguinte, depois de tomarmos café da manhã no hostal, fomos caminhando até a Plaza de Armas. Uma praça muito bonita, rodeada de barzinhos, restaurantes e lojas. Era dia de conhecermos a cidade, os passeios disponíveis e encontrar a agência Innova Travel, que contratamos ainda no Brasil com o Eddy, para pagarmos o restante dos 50% da Trilha Inca de 4 dias e 3 noites + Machu Picchu + Wayna Picchu. Que o medo de chegarmos no endereço e não ter nada!!! hehehe
Paramos para almoçar no Los Sabores del Inka, e depois fechamos os passeios, Vale Sagrado e City Tour. Já era dia 07 de janeiro, e dia 09 iniciaríamos a Trilha Inca.
Para o dia 08, fechamos o passeio do Vale Sagrado e para o dia 13, fechamos o passeio do City Tour. Esses dois, com a agência Machupicchu Peruvian Wonder (mas fiquem atentos, porque no dia de embarcarmos de volta pra La Paz eles nos cobraram a mais pela passagem que já havíamos comprados e a justificativa foi de que a procura estava grande e a companhia tinha aumentado o preço).
Em Cusco existe o Boleto Turístico, que pode ser comprado na Municipalidade del Cusco, localizada na Av. Sol 103. Esse boleto é obrigatório para os passeios Vale Sagrado e City Tour. Se for fazer os dois compensa comprar o boleto integral por s/ 130. Se for fazer apenas o Vale Sagrado ou só o City Tour, compensa comprar apenas o boleto para o passeio específico por s/ 70.
Depois do almoço o Gilvan foi encontrar os brasileiros André e Guiga. Eles iriam fazer o City Tour para no outro dia ir à Machu Picchu, pois o Gilvan retornaria para Campo Grande logo depois.
Eu, Guadalupe e Keila, tínhamos uma reunião às 18h na Innova Travel com o guia, para conversarmos sobre a trilha.
A agência nos informou que teríamos que levar US$ 300 extra cada, caso acontecesse algum imprevisto ou problema de saúde, mas a essa altura do campeonato, nosso dinheiro já era pouco e juntando o dos três, mal dava os US$ 300...hehehe
Havíamos marcado de encontrar o Gilvan depois das 19h na praça. O que não aconteceu. Nos desencontramos! Então procuramos um lugar pra jantar e logo depois retornamos para o hostal.
O Gilvan foi aparecer as 5h da manhã, looouuucccooo!!! Tinha voltado da balada muito doido!!! Tomou um monte de free drinks e conheceu vários brasileiros. E onde tem brasileiro já viu né, tudo vira festa! Tudo vira diversão! hehehe!!! Depois dele ter nos acordado entrando falando alto no quarto e fazendo barulho, não demos muita moral pra ele, e voltamos a dormir.
Passado algumas horas, levantamos todos, e nos despedimos do Gilvan, ele iria à Machu Picchu com André e Guiga e nós, faríamos o Vale Sagrado.
O passeio saiu da Plaza Regocijo em um ônibus com +/- 30 pessoas e um guia e durou o dia todo. Nosso guia foi o Jorge - "Obrigado Brasil!" hehehe
O Vale Sagrado dos Incas é a região compreendida entre os povoados de Pisaq e Ollantaytambo. Começamos pelo vilarejo de Pisaq que fica a 30 km de Cusco, comemos empanadas, fomos a Urubamba, comemos maiz (milho) que aliás, a Keila depois trouxe para o Brasil para vó dela plantar, mesmo o guia tendo dito que só nasce em grandes altitudes. Estamos na espera! Já está com folhinha...hehehe

Passamos também por Ollantaytambo, a 19 km de Urubamba, onde vimos o complexo agrícola feito pelos Incas.
Finalizamos visitando Chinchero, situada a 28 km de Cusco e lá, as moradoras nos ensinaram como elas fazem a lã para a confecção de roupas, mantas, gorros, etc.
Retornarmos do passeio era umas 20h e fomos correr atrás de algumas coisas. Precisaríamos alugar bastões e sacos de dormir e organizar as coisas que iríamos levar para a trilha.
Eu comprei um bastão por s/ 30 na loja Peru Camping, em frente a plaza de armas, alugamos mais um bastão por s/ 5 cada dia, e mais três sacos de dormir de pena de ganso (há também o sintético que não suporta temperaturas muito baixas) no valor de s/ 20 cada por dia. Foram os valores mais baratos para aluguel que encontramos. E a dona da loja é super simpática.
Tudo certo, retornamos para o hostal, dessa vez dormimos no Pirwa Bed & Breakfast Cusco que ficava pertinho da Plaza de Armas. Ali deixamos nossas coisas que não levaríamos para trilha. Tentamos deixar reservado mais uma diária para nossa volta, mas não tinha vaga. Então reservamos uma noite no Hotel Casa Grande para ficarmos no dia 12/01, quando retornássemos da trilha.
Retornamos no dia programado, as 22h e mesmo mortos de cansaço pelos quatro dias de caminhada na trilha, tomamos um banho e fomos conhecer a balada de Cusco, a mesma que tinha deixado o Gilvan louuuucooo...rsrsrs
Caminhamos até a plaza de armas e lá já fomos abordados por vários peruanos nos convidando para entrar na balada (barzinho) deles. Era uma guerra! Ai começaram as ofertas e propagandas das baladas.
"-A minha tem três ambientes"
"-Na minha você ganha um free drink"
"-A minha está mais lotada"
E por ai vai... de todo jeito eles querem que os turistas entrem na balada deles! É até engraçado! (:
Analisando as opções, entramos na que ganharíamos um free drink (uma bebiba grátis)!
Lá estava rolando várias músicas, e também tocou... "Delícia, delícia. Assim você me mata. Ai se eu te pego, ai ai se eu te pego". As músicas brasileiras fazem sucesso por ai a fora!!!! (:
A balada era coisa de louco, os barman subiam no balção e davam bebiba na boca da galera com uma garrafa já preparada, com dosador no bico. Que loucurão!!! hehehehe!!!
Depois de passarmos um tempo na primeira balada que entramos, saímos e fomos conhecer outras Passamos em várias na mesma noite! E o free drink rolando... Já eram 2h ou 3h da madrugada, eu e a Guadalupe resolvemos ir para o hotel, a Keilinha resolveu ficar mais um pouco, então deixei s/ 20 para ela gastar.
Já no hotel, o dia já estava quase clareando, derepente a cena se repete, mas dessa vez com a Keila, ela chega no quarto batento as portas, fazendo o maior barulho, acordamos assustados, e lá estava ela, no banheiro vomitando, e chamando o "juca"!!! uhauauahua Que fase heim Keilinha! hahahahaha
A Keilinha chegou contanto que saiu da balada que tinhamos deixado ela, e foi pra várias outras, as baladas ficam uma do lado da outra. Ela resolveu vir embora quando tentou voltar no primeiro lugar que entramos, mas o segurança não deixou ela entrar porque o dia estava clareando e eles já estavam fechando. (:
E depois de nos falar tudo isso, ela me devolve os s/ 20!??? Com que dinheiro você bebeu todas?
Hahahahaha!!! A Keilinha e sua infalível lábia, bebeu em todos os lugares de graça!
"Sou nova na cidade, meu primeiro dia em Cusco, um free drink por favor!" kkkkkkk
E assim ela ficou loooouuuuca! (:
Cusco é a cidade das baladas!!! Se você gosta de sair a noite, programe alguns dias extras para ficar por lá. Além disso é uma das cidadezinhas mais legais que conhecemos no nosso mochilão.
Dia 13/01, dia de City Tour, último dia em Cusco. Depois de 4 dias de trilha inca e um dia todo em Machu Picchu, os lugares que parávamos para visitar pelo City Tour já não nos atraia muito. Então recomendamos que faça o City Tour antes de ir a Machu Picchu. (:


Abraços,

Daniel e Guadalupe

2 comentários:

  1. Daniel e Guadalupe,

    Estou acompanhando o blog de vocês e aguardando ansiosa as atualizações. Muito bom! Parabéns pelo blog!

    Vou fazer um roteiro parecido com de vocês em abril. Com 17 dias, infelizmente Salar de Uyni, Potosi e Trilha Inca vamos ter que deixar de lado.

    Estamos preocupados com dinheiro. O valor que vocês planejaram levar foi suficiente?

    Ah, amei a indicação do Guia. Ele é excelente e está ajudando muito no planejamento.

    Bjos,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  2. Yolanda,

    Olá Tudo bem?
    Muito bacana saber que está acompanhando nosso blog!
    Se você puder fazer o Salar não deixe-o de fora, é lugar mais lindo que eu já vi na vida, principalmente a parte alagada!
    A nossa viagem durou 23 dias, e o que gastamos por dia foi uma média de R$ 100,00. A Grana foi suficiente. Levamos para nosso viagem 1100 dólares cada um. E levamos além dos dólares alguma quantia em reais de garantia, caso precisassemos, e precisamos. Isso porque não fizemos muita compra. Nossos gastos eram os necessários, hospedagem, transporte, passeios, comida! (:
    Fique a vontade para tirar todas as dúvidas!

    Abraços,

    Daniel

    ResponderExcluir