quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Mochilão Patagônia - Ushuaia - Cerro Martial

     Essa viagem de mochilão foi tão esperada por mim e ao mesmo tempo aconteceu muito de repente... A ideia era viajar no dia 19/12/2016 mas imprevistos aconteceram e resolvemos antecipá-la para o começo de dezembro o que fez tudo ser atropelado pois, essa decisão foi tomada já em novembro.Ficamos semanas pesquisando passagem aérea saindo de Campo Grande, São Paulo e Rio de Janeiro e o valor mínimo que encontramos foi R$ 1.101,00 (São Paulo - Ushuaia - El Calafate - São Paulo) mas até que eu e o Daniel sentávamos para comprar, já não tinha mais e as opções de bom preço e menor tempo de viagem iam acabando e o trecho do voo doméstico estava ficando mais caro que o voo internacional... Eu já estava considerando viajarmos pelo Brasil até que no domingo, antes da viagem, entramos no site da Decolar.com e encontramos o menor preço e tempo de viagem dentre as opções (9h a ida e 15h a volta), em seguida, entramos no site Max Milhas e verificamos o voo doméstico que estava dando uma economia de +/- R$ 200 então... COMPRAMOS AS PASSAGENS!      O total de passagem deu R$ 2.629,85 cada, já com as taxas para os trechos:
Ida: CGR - GRU - USH
Volta: FTE - GRU - CGR.
     Sem muita pesquisa para onde íamos apenas a vontade de fazer um mochilão pela Patagônia Argentina, saímos de Campo Grande no dia 01 de dezembro, dormimos em São Paulo com a hospedagem mais que especial da minha amiga Adriane e embarcamos rumo a Ushuaia pela Aerolíneas Argentinas no dia 02 de dezembro, chegando no destino às 19h30 com escala em Buenos Aires.
     No aeroporto de Buenos Aires (AEP) achamos uma cotação de $ 5 pesos pra R$ 1 e foi aquele sufoco pois não sabíamos se em Ushuaia encontraríamos cotação melhor e, sem internet, o desespero bateu, até que consegui uma wi-fi aberta e entrei em contato com a agência Brasileiros em Ushuaia pelo WhatsApp e me

informaram a cotação local de no máximo $ 4,20 pesos. Ficamos sem saber quanto trocar de dinheiro então, resolvemos cambiar metade do dinheiro que havíamos levado. DICA: se puder, fique um dia em Buenos Aires para poder fazer o câmbio pois se no aeroporto a cotação estava melhor que em Ushuaia, no centro de Buenos Aires com certeza conseguiríamos uma cotação ainda melhor.

     A chegada a Ushuaia já nos encantou de dentro do avião quando começamos a ver aquelas montanha de picos nevados! Em dezembro é verão nessa região e fomos esperando pegar uns 13ºC no máximo. Levamos segunda pele, corta vento, um casaco mais "pesado", luvas e gorro. Durante o dia, com o sol e as caminhadas, não senti muito as temperaturas mas a noite com o vento, o clima era mais frio. 
     Ainda em Campo Grande, fechamos a hospedagem em Ushuaia para 4 dias na Bed and Breakfast Aijpel que estava muito bem avaliada. A hospedaria pertence ao Fernando e a Susana que nos deram toda a atenção, nos buscando no aeroporto de Ushuaia, dando informações dos passeios que poderíamos fazer, os valores e ainda preparavam um café da manhã delicioso. O quarto privado era arrumado todos os dias e eles disponibilizaram toalha, sabonete, shampoo e condicionador.

     Na primeira noite pedimos para o Fernando dica de algum lugar para jantarmos e dentre algumas opções que ele nos deu, fomos no Moustacchio. Eu pedi uma massa e o Daniel um lomo que dividimos um pouco pra cada, acompanhado de um vinho Postales Del Fin Del Mundo. Nossa conta deu um total de $ 755. O lugar é gostoso e fomos super bem atendidos.
     No outro dia cedo a Susana nos deu algumas dicas de lugares e passeios então, resolvemos subir o Cerro Glaciar Martial a tarde. Na parte da manhã, fomos andar pela cidade para conhecer um pouco e tirarmos fotos. 


     A tarde, por volta das 14h40 chegamos no início da trilha. Até lá pegamos um táxi ($ 120) da hospedaria até o começo do cerro. A princípio, achamos que foi desnecessário já que a Susana disse que eram só 6km até lá, mas na volta, vimos que pegar um táxi foi uma mão na roda pois nesse dia andamos 12km entre subida, descida e chegada na hospedaria.
     Durante o percurso pegamos alguns momentos de chuva e muito vento e quando chegamos no Cerro Martial a chuva apertou e como não havíamos ido preparados, com capa de chuva, não conseguimos nem tocar no gelo. Na descida pegamos um outro caminho até um mirador de onde tivemos uma vista da cidade de Ushuaia. Na volta, paramos na Casa de Té que tem no caminho mas não entramos, então, continuamos a caminhar com chuva até chegarmos na hospedaria.





Nenhum comentário:

Postar um comentário