quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Mochilão - Buenos Aires - Argentina

Para a viagem de mochilão à Argentina, trocamos ainda no Brasil, real por peso argentino (cotação de $2,56) apenas para algumas despesas iniciais. No dia 28/01, chegamos no aeroporto Aeroparque Jorge Newbery em Buenos Aires e fomos atrás de táxi, que nos cobrou $100! Assustamos com o valor pois ainda não estávamos habituados com a moeda e nem as conversões. Então resolvemos andar um pouco para sair do aeroporto e conseguir um táxi mais em conta. O problema é que não tínhamos nenhum mapa em mãos. 
Saímos andando eu, Daniel, Judite e o tio Rosenildo, de mochila, meio perdidos, até que chegamos em um shopping e pegamos um táxi que nos levou até a Av. Corrientes com a Calle Florida do qual pagamos $50.
Fomos atrás do Milhouse Hostel indicado pelo Guia Criativo para o Viajante Independente da América do Sul mas ele estava sem habitacion libre então ficamos ao lado, no Sudamerika Hostel ($105 cada um por noite) com desayuno (café da manhã), wi-fi,  banheiro privado e toalha.
De banho tomado, fomos para a C. Florida cambiar real por peso. Há muita oferta de câmbio nessa calle (rua) e após algumas pesquisas, trocamos R$ 100,00 cada a uma cotação de $4,50.
Com peso argentino em mãos e morrendo de fome, paramos no Barista Resto onde bebemos e comemos um bife de lomo (filé-mignon) com porção de arroz e mini batatas cozidas pagando $396 total.
Na volta para o hostel paramos em frente a Casa Rosada para umas fotinhas e compramos uma água, aliás, a água mineral na Argentina é muito ruim!!! Demorou encontrarmos uma boa!!! 
No dia 29/01 saímos para conhecer alguns pontos turísticos de Buenos Aires como o Obelisco, e nos informando em um ponto de informação turística na Av. Corrientes, acabamos comprando o Bus Turístico. Há duas opções de bilhete: um por 24 horas e outro por 48 horas para período de uso.
Compramos o bilhete 24h por $170 cada e ainda ganhamos um cartão de desconto de "brinde". No Bus Tur conhecemos lugares como: Congresso Nacional; Estádio La Bombonera ($55 cada); fomos a pé até o Caminito (o bairro do tango) onde almoçamos no La Barrica ($450); Floralis Generica e passamos por alguns parques, zoológico e principais avenidas de Buenos Aires, sem parar nos lugares.
De volta a C. Florida, fizemos uma previsão de gastos até atravessarmos para o Chile e trocamos dinheiro suficiente pra isso. Indo para o hostel, vimos o "Seu Jorge" tocando música brasileira, então não resistimos e dançamos um samba. Só faltou passarmos o chapéuzinho...hehehe
A noite buscamos no guia uma indicação de onde comermos e encontramos uma das maiores barbadas roubadas da nossa viagem... Fomos na pizzaria Ugi's onde pagamos $56 por uma pizza grande de muzzarella e dois refri onde em reais deu R$ 3,00 pra cada!!! O tio foi o que mais gostou da pizza, né tio? 
No dia seguinte, 30/01, pegamos o metrô ($3,50 cada) para a rodoviária e de lá embarcamos para Rosario...

22 dias depois de passarmos por Rosario, Córdoba, Mendoza, Santiago, Valparaíso, Viña del Mar, Pucón, Puerto Montt, Ancud, Castro, Puerto Varas, Bariloche...
Voltamos para Buenos Aires dia 21/02, pegamos o metrô e conforme eu e o Daniel havíamos planejado o que faríamos nesses últimos dias, fomos para o bairro San Telmo atrás de um hostel pra ficarmos. Depois de passarmos por vários, acabamos ficando no Tanguera Hostel, onde pagamos $125 cada pela diária, porém foi o pior lugar que ficamos em toda viagem. Apesar de limpo e uma recepção bonita, no quarto privado que ficamos, o banheiro ficava dentro do quarto, era uma caixa, com um exaustor, que levava o cheiro para dentro do quarto e se desse descarga, o chuveiro quase não saia água. A cozinha era feia e suja e os outros banheiros, entupidos. No mesmo dia saímos em busca de outro lugar para ficarmos o resto da viagem, afinal, nossa economia da viagem toda resultou em uma "folga" no orçamento.
Almoçamos ali perto mesmo, no Gran Parrilla del Plata onde pagamos $364. De lá fomos rumo a C. Florida trocar dinheiro e aproveitar para procurar outro lugar para ficarmos o resto dos dias.
Fomos no Milhouse Avenue mas só havia lugar disponível para o domingo. Deixamos pago $490 para garantir nossa reserva e continuamos a procurar um hostel para ficarmos no sábado pois o Tanguera não tinha como ficar nem mais um dia, ainda mais pagando o que pagamos. Resolvemos parar no hostel Sudamerika, o mesmo que ficamos quando chegamos em Buenos Aires, e para nossa sorte havia um quarto privado para nós quatro. Reservamos e voltamos para onde estávamos para tomar um banho e conhecer um pouco da noite no bairro San Telmo.
A Judite e o tio Rosenildo resolveram comer ali por perto mesmo pois a caminhada daquela tarde havia sido grande! Eu e o Daniel saímos rumo a estátua da Mafalda (C. Defensa esquina com a C. Chile) que eu estava ansiosa por conhecer, afinal, ela é a segunda mulher mais conhecida da Argentina!
Foto tirada com ela, passamos por alguns barzinhos até chegar na Plaza Dorrego onde vários bares e restaurantes colocam suas mesas na praça e acontecem shows de tango e dança flamenca. Escolhemos o Resto Bar onde eu pedi um crepe e o Daniel, uma massa, e uma bebida cada um. Nossa conta deu $306 e para não precisar trocar $100 para o garçom tirar $1, demos $305 para pagar a conta. Como o garçom pegou o dinheiro e não falou nada, fomos embora! De repente o Daniel olha pra trás e vê o garçom perguntando pela gente e saindo atrás. Paramos e ele veio falar que estava faltando $1 e a propina (gorjeta). Tentei explicar porque faltou $1 mas não adiantou, então demos $100 e ainda $10 de gorjeta. Saímos de lá morrendo de vergonha e com mais uma história para contar!
No dia 22/02 tomamos o café da manhã no hostel Tanguera, deixamos nossas mochilas no hostel Sudamerika e fomos pegar o metrô até o bairro Palermo onde tem as outlets.
Antes, paramos na Galería Boston, agência Anny Tours, para fecharmos um show de tango para assistirmos a noite. Existem várias agências de turismo que fecham passeios para as diversas casa de tango que tem em Buenos Aires. Optamos pelo Madero Tango, que foi uma opção intermediária dentre as que nos foi apresentada. Pagamos $1.600 para mim e o Daniel, incluso o translado de ida e volta, o show de tango, o jantar com entrada, prato principal e postres (sobremesa) e bebida. Você escolhe entre vinho ou champanhe para beber a vontade a noite toda.
De volta as outlets, andamos pela Av. Córdoba até a Av. Scalabrini Ortiz mas não achamos muitas lojas de outlets, então, o tio Rosenildo saiu perguntando até que encontramos a C. Gurruchaga onde tem outlets das mais diversas lojas!!! Encontrei até uma loja chamada Lupe!
Às 18h pegamos o metrô de volta ao hostel para nos arrumarmos para o show de tango, pois o translado passaria as 20h para nos buscar e tínhamos que esperar já na recepção.

O show teve duração de duas horas e depois que acabou tivemos uma aula de 30 min de tango onde ganhamos até certificado após a conclusão do "curso". A comida estava deliciosa e o atendimento foi muito bom!
No domingo, 23/02, deixamos as mochilas no Milhouse e saímos para conhecer a feira de San Telmo que tem no início da C. Defensa e você não vê o fim!!! Lá é possível você encontrar dos mais diversos objetos e a feira termina da Plaza Dorrego com barraquinhas com diversas antiguidades. Esteja descansado para caminhar até o final.
Já próximo da hora do almoço, pegamos um táxi do San Telmo até o Caminito ($40). Almoçamos no La Vieja Rotiseria ($485) onde aproveitamos para tirar foto com os dançarinos de tango. Compramos mais algumas lembrancinhas e pegamos outro táxi para o Milhouse Hostel. Fizemos uma pausa para descansarmos e então saímos para um lanchinho e não podíamos ir embora de Buenos Aires sem conhecer o café mais antigo... Café Tortoni \o/ pedi um chocolate quente que lembrou carinho de vó! Muito gostoso!
Como lá era só um lanchinho, saímos a procura de uma boa pizza para o nosso último jantar desse mochilão. Andamos até o Congresso Nacional e na volta paramos na Pizzaria La Continental ($265) onde saboriamos uma boa pizza e batemos papo com uma família de brasileiros que chegaram depois ao local. No hostel, encontramos mais brasileiros. Trocamos uma ideia e então fomos dormir no melhor hostel de toda nossa viagem mas que acabamos não desfrutando de nada... rsrsrs
Dia 24/02, saímos às 4h30 de táxi até o Aeroporto Ezeiza ($230) que fica em média 30 km do centro de Buenos Aires, lá passamos pela aduana para dar saída na Argentina e algumas horas depois estávamos dando entrada no Brasil!

Para ver as fotos da viagem, clique aqui.

Bjinhos,
Guadalupe


2 comentários:

  1. Qndo organizarem algo pro MT, to dentro,, hehehe abrcos, Anderson Tolazzi

    ResponderExcluir
  2. Oi Anderson! Seja bem vindo ao blog! Pode deixar que sempre que organizamos alguma viagem, mandamos e-mail para os contatos cadastrados no site! Obrigada! =)

    ResponderExcluir