segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Mochilão - Argentina e Chile - Preparativos

Depois do nosso primeiro mochilão pela Bolívia e Peru em 2011/2012, impossível não pensarmos em programarmos o próximo.
A experiência de viver um mochilão é indescritível, viver a cultura de outros países por alguns dias, conhecer lugares espetaculares, tudo isso faz você refletir sobre a vida e dá vontade de compartilhar essa aventura com as pessoas que você mais ama.
Ao retornarmos da Bolívia e Peru cheios de fotos, vídeos e histórias para contar, começou a surgir o interesse de outras pessoas da família em viver essa aventura. Uma dessas pessoas foi o tio Rosenildo.
Ao ver as fotos, comentou que gostaria muito de fazer uma aventura dessas, e logo questionamos o porque dele nunca ter dito isso antes. Ele comentou que tinha receio de não conseguir aguentar o tranco. E então em uma brincadeira começamos a falar de começarmos a programar um próximo mochilão. Ele via as fotos e comentava que queria conhecer aqueles lugares. E ao mesmo tempo eu pensava, o mundo é grande demais para voltarmos ao mesmo lugar, então, porque não Argentina e Chile, já que ele tinha um sonho de conhecer as Cordilheiras dos Andes.

O Destino
Pensamos em Patagônia (Região sul da Argentina e Chile) ao ver algumas lindas fotos de lugares espetaculares, mas eu queria muito levar minha mãe nesse mochilão, e a impressão que tenho é que na Patagônia seria um mochilão de muita aventura, trekking e escaladas. Sendo assim, pensamos em conhecer a região central da Argentina e Chile já que é um lugar que também queríamos conhecer.
Como sempre, quando começamos as pesquisas, quanto mais pesquisávamos, percebíamos que mais precisávamos pesquisar, enquanto isso ficamos acompanhando passagens para Santiago (Chile) e Buenos Aires (Argentina).



As passagens
De repente a GOL fez uma promoção de volta por R$ 39,00 e foi aquele desespero, vamos comprar as passagens, essa é a hora! Porém não tínhamos roteiro definido. E depois de uns bons meses eu consegui convencer a minha mãe de embarcar nessa.
Como a GOL não desce em Santiago, compramos as passagens saindo de Campo Grande (MS) para Buenos Aires no dia 28/01 e a volta de Buenos Aires para Campo Grande no dia 24/02. As passagens saíram R$ 869,20 por pessoa, incluindo todas as taxas.
Quando nos demos conta, tínhamos comprado as passagens em um intervalo de 27 dias e nem tínhamos roteiro definido. Seja o que Deus quiser e lá vamos nós!!!
Os mochileiros da vez seriam Daniel, Guadalupe, Judite e Rosenildo.

O Dinheiro
Quanto levar para esse mochilão? Quanto levar em um mochilão é relativo, pois cada um tem seu estilo de viajar, e esse estilo vai definir quanto levar. Para ficar fácil basta calcular o valor que se imagina gastar por dia, vezes a quantidade de dias que se pretende viajar. No nosso caso, baseado na experiência da Bolívia e Peru, gastamos uma média de R$ 100 por dia no ano de 2011/2012. Para esse calculamos assim:
27 dias x R$ 150 por dia = R$ 4.050. Arrendondamos esse valor para R$ 5.000 uma margem de R$ 950 para qualquer imprevisto, algum passeio mais caro ou até mesmo para compras.
No primeiro mochilão levamos todo dinheiro em dólar, pois pegamos uma cotação muito boa no final de 2011, em que compramos o dólar por  R$ 1,78. Já no início de 2014 a cotação do dólar estava R$ 2,58, sendo assim fizemos algumas pesquisas ligando em casas de câmbio na Argentina. E depois de alguns cálculos, decidimos que o melhor seria levar reais em espécie.
Portanto, qual moeda levar também não tem uma regra, o melhor é fazer pesquisas e cálculos alguns dias antes da viagem e ver o que compensa mais.

As Acomodações
Muitas pessoas me perguntam como viajar gastando pouco. Para viajar gastando pouco basta um pouco de planejamento, definir datas com antecedência, ficar ligado nas promoções de vôos das companhias aéreas, dormir em hostel ou casas de famílias conhecidas como hospedaje e fazer controle dos gastos diários para não correr o risco do dinheiro acabar no meio da viagem.
Hostel: O que é um hostel? Hostel, sinônimo de albergue é um tipo de acomodação de baixo custo onde você paga para dormir em um quarto compartilhado com outras pessoas. Alguns possuem quartos separados de meninas e meninos. Em alguns também é possível encontrar quartos privados com banheiros compartilhados ou privados. Um hostel é menos formal que um hotel, na maioria deles os hóspedes podem usar a sala de TV, a cozinha e até mesmo a lavanderia para lavar suas próprias roupas. Esse tipo de acomodação geralmente é cheio de atividades durante a semana, algumas pagas outras gratuitas, alguns são tranquilos outros mais agitados. Um bom site para se localizar e até mesmo reservar um hostel é o www.hostelworld.com.
Hospedaje: são casas de famílias onde se paga para dormir em uma quarto. Algumas com direito a café da manhã. Em algumas regiões do Chile, as hospedajes são muito comuns. Esse tipo de acomodação é bem mais simples do que um hostel. E é uma excelente opção econômica para viajantes.

Com todas essas dicas, que tal começar a programar seu primeiro ou até mesmo próximo mochilão?

Nenhum comentário:

Postar um comentário