terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Ano Novo - 2.800 km em 4 dias

Dia 28/12/2012 às 21h embaixo de muita chuva partimos para mais uma aventura! O roteiro dessa vez era, seguir para São Paulo capital, onde visitaríamos minha irmã que estava fazendo tratamento dos rins e minha mãe que estava o tempo todo ao seu lado. Depois partiríamos para as praias do Paraná e passaríamos a virada do ano em Itapoá - SC.
Um pouco tensos com a chuva o Gilvan soltou essa: - "Relaxa o tchek galera!". Depois disso caímos na gargalhada, aumentamos o som e seguimos viagem!
Fizemos algumas paradas no caminho, trocamos de motorista e por volta das 3h da manhã a polícia nos parou, estávamos tão tranquilos que os passageiros que estavam atrás nem lembraram de colocar o cinto de segurança. Quando o policial perguntou para o Vagner se todos os passageiros estavam de cinto ele afirmou que sim, em um tom para escutarmos e nos "tocarmos". Quando o policial se aproximou do vidro e nos perguntou se todos estavam de cinto, não tínhamos achado o cinto do meio, então imagina a cena, bundas pra cima, banco revirado, pés de meia no asfalto e cadê o cinto? Nós nunca tínhamos usado o cinto do meio e ele não estava enfiado embaixo do banco. Depois de todos fora do carro, já indignados de não termos achado o cinto do meio, olhamos para o banco e lá estava ele, bem na nossa cara. O cinto não ficava embaixo do banco, ele era de três pontas, saía do encosto do banco como os outros cintos laterais. Que fora! Entramos todos no carro, o policial deve ter achado aquela situação muito engraçada, e acabou nos liberando para seguir viagem.
O sol brilhou e às 8h estávamos em SP. Fizemos uma visita ao Morumbi, tiramos algumas fotos, e fomos ao encontro da Luísa e da minha mãe (Judite) no Shopping Estação Santa Cruz, almoçamos por ali mesmo e fomos ao Hospital do Rins e Hipertensão visitar minha irmã (Gislayne). Surpresa!!!
Exaustos da viagem partimos para casa da Luísa, onde dormiríamos a primeira noite!
No outro dia bem cedo, ainda escuro, pegamos estrada em direção a Ilha do Mel no Paraná.
Um GPS, guia rodoviário ou até mesmo mapas impressos é sempre muito útil em estradas que não se conhece. Uma análise do caminho que se pretende fazer antes de pegar estrada também ajuda bastante, pelo menos você sabe o que perguntar, caso fique perdido nas rotatórias que ligam várias estradas, afinal, não dá para confiar sempre no GPS. Saímos de Diadema-SP pela Rodovia Régis Bittencourt sentido ao estado do PR, antes de chegar a Curitiba pegamos a PR-410 (Estrada da Graciosa), uma estrada bonita, cheia de flores, porém de velocidade baixa e muitas curvas acentuadas.

Chegando na cidade de Pontal do Paraná e fomos direto a praia Pontal do Sul, de onde sai o passeio até a Ilha do Mel. A passagem até a Ilha do Mel custa R$ 27,00 (ida e volta). Ao comprar o bilhete você tem opção de desembarcar em dois pontos da ilha, Encantadas ou Brasília.
 Distância e tempo aproximado de caminhada entre os pontos da ilha:
  • Brasília - Encantadas: 4,8 km / 2h30
  • Brasília - Farol: 1,6 km / 30 min
  • Brasília - Fortaleza: 4 km / 1 h
  • Encantadas - Farol: 6,4 km / 3 h
  • Encantadas - Fortaleza: 8,8 km / 3h30
  • Encantadas - Gruta: 0,6 km / 15 mim
Nós desembarcamos em Encantadas, pois nosso amigo Vagner que já conhecia a ilha nos indicou desembarcar nesse ponto por ser mais atrativo, mas como não conhecemos toda ilha não podemos afirmar. Se você tem intensão de conhecer a ilha, vale a pena pesquisar sobre os pontos e ver fotos para decidir onde desembarcar e quais pontos visitar. Como ficamos poucas horas na ilha, só deu tempo de curtir a praia, comer alguma coisa e já era hora de voltar, pois teríamos que tocar viagem até Itapoá-SC.
Sem saber exatamente onde ficaríamos, seguimos viagem para Itapoá onde passaríamos a virada de ano. Para atravessar de Matinhos para Guaratuba pega-se um ferry boat, ficamos alguns minutos na fila e atravessamos por volta de 19h30.
Chegamos em Itapoá-SC por volta das 23h, fora as principais ruas que são asfaltadas e cruzam toda a cidade, as ruas não tem asfalto e nem identificação, sendo assim, tivemos dificuldade de encontrar a casa da Rafaela onde iríamos ficar. Primeiro encontramos a Mary (irmã da Guadalupe) e o Heitor que nos levou até o  Carlos (irmão da Guadalupe), onde iríamos passar a noite. Depois de nos localizarmos pegamos o carro e fomos dar uma volta para encontrar algo para comer, depois de algumas horas de estrada estávamos mortos de fome!
Aquela hora da noite foi difícil encontrar algum lugar aberto, primeiro encontramos um lugar que vendia lanche, sem dúvidas paramos ali mesmo, afinal não tínhamos muita escolha. O Lugar estava lotado, e o próprio atendendo nos informou que iria demorar muito e que se fosse a gente, não ficaria. "Pode isso Arnaldo?". O próprio atendente dizer para os clientes não ficarem. hehehe... O jeito é procurar outro lugar.
Pegamos o carro sem direção e acabamos encontrando uma pizzaria, paramos ali mesmo, ufa!!! Pedimos as pizzas, sucos, refri, comemos e voltamos pra casa para descansar.
Novo dia, 31/12/2012, dia da virada de ano galera! Itapoá apesar de ser uma cidade a beira mar, não é uma cidade tão turística como por exemplo, Balneário Camboriú ou Meia Praia em Itapema.
Mesmo assim nos divertimos muito, afinal estávamos em família e amigos, e a festa só dependia da nossa animação! Encontramos uma galera super animada que também estava hospedada na mesma casa, eles enfeitaram toda a casa. Por ali mesmo nos divertimos, comemos, bebemos, e partimos para o mar para ver a queima dos fogos a meia noite, depois rolou um luau na areia da praia pra fechar com chave de ouro.
Esgotados, fomos dormir para no outro dia pegarmos estrada de volta. Acordamos, quase não tinha ninguém de pé ainda, deixamos um recado de agradecimento, pegamos o carro e partimos, opa, ainda fizemos uma parada para a última foto no mar antes de pegar estrada.





E lá fomos nós para fecharmos mais uma aventura!!! Obrigado a todos galera... vamos programar a próxima aventura.



Clique aqui para ver as fotos!!!

Abraços,

Daniel

Nenhum comentário:

Postar um comentário